Histórico do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFOP

Histórico do Programa de Pós-Graduação em Educação PPGE/UFOP

 

        A universidade Federal de Ouro Preto firma-se na tradição das áreas das engenharias, consagradas pela secular Escola de Minas; na área da Farmacologia, com a Escola de Farmácia - ambas do período imperial, prestando importante contribuição para a nação com a formação de profissionais para essas áreas, chaves no desenvolvimento da nação brasileira. Mais recentemente, voltou sua atenção para a área das humanidades, criando o Instituto de Ciências Humanas e Sociais, na cidade histórica de Mariana. No final da década de 1990, amplia fortemente sua vocação acadêmico-científico para formar os profissionais da Educação para atuar na docência, gestão e investigação da Escola Básica e da educação em geral, em todos os seus níveis e modalidades.

 

        Esse marco, de grande repercussão para a Região e adjacências, se expressa hoje no esforço que vem fazendo a instituição na formação de professores e profissionais da Educação em geral, a partir do Departamento de Educação – DEEDU. No contexto da Universidade, o DEEDU, localizado no Instituto de Ciências Humanas e Sociais (Campus de Mariana), locus em que se abriga o PPGE/UFOP, funciona hoje como órgão de formação para todos os cursos de licenciaturas da UFOP - Artes Cênicas, Ciências Biológicas, Educação Física, Filosofia, História, Letras, Matemática, Música, Pedagogia e Química. Ministra disciplinas das áreas de humanidades para cursos de outras grandes áreas. Concede, ainda, professores, na condição de colaboradores, nos cursos de Mestrado em Educação Matemática (Departamento de Matemática) e de Ciências (ICEB). O referido Instituto mantém em funcionamento três programas de pós-graduação: Educação, Historia e Letras.

 

        O contexto no qual se insere o Instituto de Ciências Humanas e Sociais (ICHS) o Departamento de Educação com os cursos de Pedagogia e Mestrado em Educação, è a região de Ouro Preto e adjacências conhecida como Região dos Inconfidentes. Nesse contextos esses programas realizam suas práticas de pesquisa, ensino e extensão nas instituições educacionais de Educação Básica Públicas nas cidades de Ouro Preto, Mariana, Itabirito, Acaiaca e Diogo de Vasconcelos. Essa microrregião abarca, conforme dados do último senso, uma população estimada em 180.000 pessoas, com 193 unidades escolares (estadual e municipal) 1 federal e 37 da rede privada de ensino, com um público escolar de, aproximadamente, 5.000 profissionais da educação e 52.000 alunos. Diante do exposto e levando em consideração o adensamento das pesquisas e o amadurecimento dos pesquisadores do programa, aliados a outros fatores socioeconômicos e educacionais, o PPGE da UFOP está nesse momento se debruçando sobre um projeto de doutorado para dar conta de sua inserção acadêmica na região. 
 

        Desde o ano 2000, o Departamento já se planejava para concretizar os ideais dos seus professores – criar o curso de Pedagogia (criado em 2008) e, de um Mestrado em Educação (aprovado em 2010). Com esses dois curso, e agora a caminho de um doutorado, concretizam-se as possibilidades de formação de profissionais qualificados para atuarem na Educação em todos os níveis de ensino. Essas iniciativas levam a Universidade a cumprir seu papel central na região para a melhoria da qualidade das práticas educacionais na microrregião dos inconfidentes (conhecida como microrregião de Ouro Preto que compreende os municípios de Ouro Preto, Itabirito, Mariana, Acaiaca e Diogo Vasconcelos). Compreendemos que os cursos de Pedagogia e de Mestrado em Educação, articuladamente, são espaços acadêmicos importantes que a Universidade brasileira no âmbito da pesquisa de estudos sistemáticos e avançados da área da Educação, assim como na formação de quadros bem preparados para o trabalho docente na Escola Básica e Ensino Superior da referida Região. Nesse sentido a regionalização da pós-graduação apontada no PNPG (2005-2010, p. 25), possibilita preservar a especificidade de cada nível de ensino, mais acima de tudo uma maior integração da pós-graduação com a graduação.

 

        O Curso de Mestrado em Educação acadêmico do Programa de pós-graduação da UFOP, foi credenciado pela Capes em 2010 e abriu sua primeira turma em 2011, assumindo os objetivos definidos no Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG 2005-2010) e tem como proposta:


Contexto atual do Programa 2011-2015 

 

         O Curso de Mestrado em Educação situa-se ainda na perspectiva de expansão do sistema de Pós-Graduação, no Brasil, que, segundo o PNPG (2005 -2010), com quatro vertentes em fase de consolidação: a capacitação do corpo docente para as instituições de Ensino Superior (no nosso caso, analisando a licenciatura e as práticas educativas como modalidades centrais para tal capacitação); a qualificação dos professores da Educação Básica (igualmente tendo as licenciaturas presenciais e a distância, somada à formação continuada como focos para os processos de qualificação); a especialização de profissionais para o mercado de trabalho público e privado e; a formação de técnicos e pesquisadores para empresas públicas e privadas. 

 

        A Pós-Graduação pode e deve contribuir para a formulação e implantação de políticas educacionais que venham atender às demandas da sociedade brasileira. Da nossa parte, por um lado, sabemos da urgência de adensar as pesquisas para entendermos com profundidade os motivos que levam os alunos de graduação não se interessarem pela licenciatura- uma melhor atratividade da carreira docente. Por outro lado, é urgente compreender o campo da formação no marco regulatório da educação à distância no Brasil, modalidade de ensino ganhou terreno fértil, especialmente nas licenciaturas incluída a pedagogia e os cursos das ciências humanas e sociais aplicadas. Nesse mesmo diapasão caba ainda problematizar como as diversas práticas educativas em espaços escolares (instituições e sistemas) e não escolares (comunidades religiosas, família, museus, bibliotecas, etc.) são empregadas como processos de inclusão e exclusão, pode, igualmente, contribuir para entendermos o que esses profissionais da educação passam no cotidiano escolar e não escolar. Atualmente, urge discutir a diferença” nos processos formativos dos professores.

 

         Por esses motivos, acreditamos que a consolidação do Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado e num futuro próximo a implantação do doutorado em nossa Instituição virá ao encontro dos anseios e necessidades, tanto da comunidade universitária - que contando com onze licenciaturas, com uma Pós-Graduação lato sensu em Educação mestrados e doutorado na grande área Ciências Humanas e Sociais (História, Letras, Filosofia, Jornalismo e Economia), um Mestrado Profissional (Educação Matemática, e interdisciplinar em Humanidades) pode implicar positivamente no desenvolvimento da comunidade e da microrregião de Ouro Preto, região dos inconfidentes. A consolidação de um programa dessa natureza, cujos fundamentos se alinham à discussão nacional sobre a formação do educador e da valorização do professor da Educação Básica, colocará em evidência o compromisso político, tanto do corpo docente do Departamento de Educação - DEEDU, do Instituto de Ciências Humanas e Sociais como da Universidade, visando contribuir para a melhoria da qualidade da Educação Pública em nosso país. 

 

         A Universidade, comprometida com a consolidação do Programa de Pós-Graduação em Educação, tendo em vista as realidades educacionais da microrregião de Ouro Preto, apontam as seguintes questões: 


1. As dificuldades e necessidades da população alvo, que tem buscado em outras instituições de Ensino Superior para estudos de complementação para sua formação. Mesmo considerando que Minas Gerais tenha um corpus forte de Universidades Federais, nem todas oferecem programas de mestrado para formação de professores e somente 3 oferecem o doutorado na área, juntando-se a 1 comunitária (PUC/MG) temos na área um total de 4 doutorados na região de Minas Gerais, guardadas o seu grande espaço geográfico e suas muitas tendências culturais nas fronteiras com outros estados. 

2. A necessidade de contribuir com a capacitação do profissional da educação, em todos os níveis de ensino – da Educação básica a Educação Superior, passando pelo EJA e a formação de profissionais professores deficientes e sujeitos de outros matizes da diferença. 

3. A carência de pessoal com titulação mais qualificada nas escolas Públicas; e os trabalhadores da educação de maneira geral, em especial na formação de quadros para o Ensino Superior. 

4. A necessidade de oferecer continuação dos estudos após a conclusão da Graduação para os professores em exercício; 

5. A importância da Educação Básica e a necessidade de superar as causas do fracasso escolar; 
6. A necessidade de ampliar e fortalecer a área educacional da Universidade Federal de Ouro Preto. 

7. A necessidade de ampliar e fortalecer o Departamento de Educação do Instituto de Ciências Humanas e Sociais. 

 

        Com base nessas questões supracitadas, o Departamento de Educação – DEEDU e a UFOP de maneira geral buscam fundamentar a proposta do PPGE (Mestrado e Doutorado futuro) nos seguintes termos: 


1. Que os cursos atendam à formação do educador, contribuindo para a melhoria da situação que hoje se encontra tal formação; Que forme pesquisadores da área da educação com vinculação à região. 


2. O fortalecimento da pesquisa, do ensino e da extensão na área educacional que beneficiará todas as licenciaturas já existentes e as que ainda serão criadas; 
 

3. A formação de um professor-pesquisador nos caminhos de humanização das práticas educacionais e que não se esqueça das outras instâncias sociais nas quais a educação transita, apto a coordenar processos emancipatórios de reflexão sobre a prática, a analisar e incorporar ativamente os produtos do processo reflexivo, capaz de perceber a complexidade de sua ação, decidir na diversidade e trabalhar integrando afetos, sentimentos e razão, pautado por compromissos éticos; um professor que saiba formar indivíduos críticos e reflexivos; 


4. A formação de um professor-pesquisador com possibilidades de intervenção pedagógica nas práticas sociais fora da escola, que saiba, para tanto, analisar os condicionantes históricos e sociais de cada contexto, integrar-se nas questões coletivas da humanidade, que seja um leitor e consumidor de cultura, que saiba trabalhar dentro dos princípios do planejamento participativo, que saiba liderar e gerenciar projetos e processos educativos; 


5. A formação de um profissional da área da educação, mediador do conhecimento no processo de ensino-aprendizagem, que busque desenvolver uma relação com o saber como sujeito que, além de trabalhar com conhecimentos múltiplos e heterogêneos, produza-os. 
 

        O PPGE/UFOP foi constituído, inicialmente, por 8 professores do DEEDU, com a participação de uma professora do Departamento de matemática (DEMAT) e outro do Centro de Educação a Distancia (CEAD). Hoje, no seu segundo triênio, conta com 20 professores composto por Doutores em Educação e em áreas afins, oriundos do Departamento de Educação, do Instituto de Ciências Básicas, Centro de Educação a Distância e Centro de Educação Física, sendo esses departamentos componentes dos cursos de licenciaturas da Universidade. 


          Atualmente o programa oferece entre 30 a 40 vagas por meio de edital em seleção anual. Isso se faz necessário para não sobrecarregarmos os docentes envolvidos. O Programa segue com a política de formação continuada dos seus pesquisadores. Desde sua fundação, 5 professores realizaram seus estudos de pós-doutorado no Brasil e Exterior, tendo atualmente 4 docentes aprovados com licença para saída entre 2014/2015.